desde 1998                                  Informativo WMulher
::  Home
::  Beleza
::  Celebridades
::  Comportamento Social
::  Dieta & Boa Forma
::  Esotérico
::  Família
::  Lar Doce Lar
::  Moda
::  Mulheres em Destaque
::  Periscópio
::  Poesia & Companhia
::  Receitas
::  Relacionamento
::  Saúde
::  Sexo
::  Trabalho & Companhia
::  Viagem & Companhia
::  Boletim WMulher
 
Quem somos
Fale conosco
Anúncio

Comportamento Social

"Se ele é o homem da minha vida, por que estou assim?"
Data: 02/05/2006

Por: Fernanda Domingues

Outro dia recebi um e-mail de uma leitora. Foram poucas linhas, tão angustiadas, que me fizeram passar horas pensando no assunto. Queria dividi-lo com vocês:

 

Querida Fernanda,

 

É muito provável, quase certo, que eu tenha encontrado o homem da minha vida. Ele é responsável, bacana, trabalha feito um louco, me faz feliz quando estamos juntos, mas... Por que então ainda me sinto tão vazia, como se um buraco tomasse conta do meu coração, como se ainda faltasse alguma coisa entre nós dois? Por que ainda procuro o cara que, teoricamente, teria que dominar o meu coração e me fazer feliz para sempre?

 

Simples, querida amiga. É porque o homem da nossa vida real pouco se parece com o homem imaginário da nossa vida real. Complicado? Vamos direto ao assunto para ver se fica mais fácil de entender. Nos filmes das nossas vidas - já conversamos sobre isso em artigos anteriores - os homens são teoricamente imperfeitos (iguaizinhos aos da nossa vida real), só que até as suas imperfeições contribuem para que eles se transformem em caras perfeitos.

 

Em outras palavras, nós, mulheres que acreditamos no amor, freqüentemente montamos uma série de filminhos, de situações na nossa mente que deveriam, pelo menos, na teoria, se concretizar com o homem da nossa vida real.  Mas essas situações são perfeitas para o homem imaginário da nossa vida real, e dificilmente vão acontecer com o nosso amor na mesma quantidade de vezes que ocorrem nos filminhos da nossa mente.

 

Para facilitar a compreensão, vamos a um exemplo prático:

 

·   Situação: Você passou no trabalho dele para entregar uns papéis que ele esqueceu na sua casa e o encontrou com uma colega de trabalho (a la Angelina Jolie) tomando um café na lanchonete do prédio. Vocês discutem e você vai embora.

 

·   Homem da nossa vida real : Fica três dias sem te dar um telefonema e, quando você entra no msn, ele se desconecta para deixar claro que achou sua atitude infantil e sem o menor nexo. Você acaba tendo que procurá-lo. Depois de um leve stress, vocês ficam bem.

 

·   Homem imaginário da nossa vida real: A campainha toca, você abre a porta. Ele está com uma cara (irresistível) de bravo, vestindo sua camisa predileta. Você o convida para entrar e ele diz que não quer. Te explica que nada rolou entre ele e a garota, que te ama e que, se está com você, não é para passar tempo. Depois desse leve stress, vocês ficam bem.


continuação
Versão de impressão Envie para um amigo

  Redação
  :: Você escolhe a sua imagem
:: Especial Natal: 9 Presentes entre bijuterias e jóias para elas.
:: A Páscoa e seus significados
:: Artigo: Breve histórico do surgimento do dia internacional da mulher
   
  Flavia de Queiroz Hesse
  :: Mulher: ainda uma cidadã de segunda classe?
   
  Domitila Farina
  :: Café no jantar à francesa
:: Etiqueta de mesa em quadrinhos.
:: Etiqueta: Abrindo o zíper das saias justas
:: Etiqueta: O Tema da conversa no jantar formal
   
  Gianine Luiza
  :: Dicas de Etiqueta: Casamento
:: Dicas de Etiqueta - XI
:: Dicas de Etiqueta X - Festas de fim de ano
:: Dicas de etiqueta IX
   
  Nicia Monteiro Alves
  :: Receber formal e informalmente
:: Segunda Bodas
   
  Diversos
  :: Festa do divórcio, moda estrangeira chega ao Brasil
:: Instituto Avon lança gargantilha da atitude visando contribuição para o fim da violência doméstica
:: Dicas para um 2009 mais feliz
:: Não cometa gafes ao dar presentes de natal
   
  Luiz Panhoca
  :: Estudos do futuro: modernização e pós-modernização
:: O conflito do Oriente Médio
:: Construindo um futuro melhor
:: Um megassociólogo e a sociologia de luto
   
  Marcela Melo
  :: Vida minha vida....Sei lá o que fiz!
:: Balzaquiana? Sim, sim, sim!! E muito feliz!
:: Voando mais alto
:: E o que dizer sobre pessoas que cultivam flores de plástico?
   
  Isabel Vasconcellos Caetano
  :: Os Donos da Verdade
:: Santa Mãe, A Mentira Social
:: Cura: Substantivo Feminino
:: Cinquentona e Libertária
   
  Priscila de Faria Gaspar
  :: Influência das crenças em nossa vida
   
  Fernanda Domingues
  :: Homenagem para a V I D A toda
:: "Se ele é o homem da minha vida, por que estou assim?"
:: Justificativa que te quero tanto
:: Você tem preguiça de viver?
   
  Aline Granja
  :: Os bastidores do sucesso
:: Para começo de conversa
:: Quebrando tudo!
:: Há um mundo bem melhor...
   
  Brigitte Hohl
  :: Sobre escolhas, mudanças e suas devidas conseqüências
   
  Roberta Hesse
  :: Repórter Teen: Um chute no tabu do futebol feminino
   
  Dra. Graça Marques
  :: A meditação que revoluciona a vida da pessoa com prática, fé e estudo
   
  Dra. Elizabeth Zamerul
  :: O que as mulheres podem aprender com Eloá
:: Maridos não apóiam a carreira da esposa?
:: A anorexia nervosa e o caminho fácil para a felicidade
:: Entendendo a auto-estima - Parte I
   
  Isabel C. S. Vargas
  :: A importância da espiritualidade e religiosidade na vida das pessoas
:: Fazendo as Contas
:: Hábitos Antigos
:: Mudando o ritmo
   



"As opiniões aqui expressadas pelos colaboradores são de inteira
responsabilidade dos mesmos."
[ WMulher © 1997-2014. Todos os direitos reservados. ]